Igreja Episcopal Anglicana do Brasil . Diocese meridional
 
 
home eventos
Igreja Episcopal Anglicana do Brasil . Organização
 

Há três níveis de organização administrativa na Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB): a congregação local ou paróquia; a diocese, formada pelas paróquias e missões de uma determinada área geográfica e dirigida por um bispo; e a igreja nacional ou província, formada pelas dioceses. O principal líder no plano nacional é o bispo primaz. O órgão legislativo máximo é o Sínodo, que se reúne a cada três anos, para aprovar as leis, os programas e projetos nacionais.

O Sínodo é formado por duas câmaras: a Câmara dos Bispos e a Câmara dos Clérigos e Leigos. A Câmara dos Clérigos e Leigos é eleita pelos respectivos concílios diocesanos. Para executar os programas e projetos aprovados pelo Sínodo é eleito um Conselho Executivo, que representa a Igreja no interregno sinodal. O Conselho Executivo é presidido pelo bispo primaz. Além disso, as dioceses realizam concílios anuais. Os concílios diocesanos são formados pelo clero da diocese como membros natos e pelos representantes leigos, eleitos pelas respectivas paróquias e missões.

A IEAB é parte integrante da Comunhão Anglicana como a 19ª Província. Uma província anglicana é formada por cinco dioceses, no mínimo. A diocese é uma unidade geográfica por excelência. A paróquia está subordinada à diocese e só pode ser considerada parte dela, se estiver em união com o bispo e com a diocese. O bispo é o pastor chefe da diocese. Ele é eleito pelo concílio da diocese, mas a sua eleição necessita da aprovação da Câmara dos Bispos e dos Conselhos Diocesanos das outras dioceses. O bispo tem sua autoridade limitada. Uma diocese pode eleger um bispo sufragâneo para auxiliar o bispo diocesano. O bispo sufragâneo não é necessariamente o sucessor do bispo diocesano. A diocese pode também eleger um bispo coadjutor para auxiliar o bispo diocesano até a sua aposentadoria. O bispo coadjutor é o sucessor natural do bispo diocesano.

A exemplo da Igreja primitiva, a autoridade suprema da Igreja Anglicana reside na própria igreja como um todo e não em algum indivíduo ou grupos de indivíduos. Dessa forma, nenhuma doutrina pode ser considerada como norma de fé sem a sua aceitação pela Igreja toda, reunida em concílio universal, em que a Igreja inteira esteja representada por delegações devidamente credenciadas. O ministério da IEAB é exercido por três ordens: bispos, presbíteros e diáconos, em sucessão histórica desde os tempos apostólicos. As mulheres também participam desse ministério ordenado em igualdade de condições com os homens.

 
   
© 2008 Igreja Episcopal Anglicana do Brasil . Diocese Meridional . desenvolvido por k.design